Buscar
  • Procurement Garage

GESTÃO TURNAROUND



  1. INTRODUÇÃO

  2. O QUE É GESTÃO TURNAROUND?

  3. QUANDO AS EMPRESAS PRECISAM DA GESTÃO TURNAROUND?

  4. MELHORES PRÁTICAS

  5. REFERÊNCIAS


INTRODUÇÃO


Neste material discutiremos um conceito muito conhecido no campo da administração de empresas, popularmente conhecido como Gestão Turnaround.


O Conceito foi visto pela primeira vez no trabalho “Corporate Turnaround Strategies: a study of Profit Decline and Recovery”, escrito em 1976 pelo autor argentino Rodolfo E. Biasca.


No trabalho, o autor discute como empresas podem reverter situações de declínio ou estagnação.


O QUE É GESTÃO TURNAROUND?


A Gestão Turnaround pode ser definida como um conjunto de medidas estratégicas

que, como o próprio nome já propõe, busca reverter um cenário negativo da empresa.

Esse conjunto de ações envolve decisões estratégicas e operacionais, ou seja, busca

refletir sobre todos os campos de atuação da empresa, desde fontes de investimento,

passando por políticas externas e internas, até chegar a custos e estratégias de

vendas.


O “turnaround”, que nomeia o conceito, propõe uma reestruturação completa da

empresa estudada, para que esta possa reverter um cenário não desejado ou até

mesmo se readaptar a novas realidades. A principal característica do modelo é

possibilitar que a gestão perceba novas oportunidades, que até então não eram vistas

por estarem “escondidas” atrás de vícios do negócio.


QUANDO EMPRESAS PRECISAM DA GESTÃO TURNAROUND?


A Gestão Turnaround por ser um conceito de reestruturação que busca melhorias até

então não percebidas, pode ser aplicada em mais de uma situação e por motivos

distintos. A metodologia, como foi dito anteriormente, propõe novas visões sobre o

negócio e percepções diversas de oportunidades. Desta forma, não existem razões

específicas, mas sim objetivos em comum, visando otimizar processos e potencializar

resultados.


Apesar de não ter momentos específicos para ser usada, comumente se aplica a

situações de divergência entre o que foi planejado e o que está sendo realizado. Ou

seja, é recomendado que empresas que cresceram muito rápido e não estavam

preparadas para isso, apliquem o modelo para se reorganizar à nova realidade. A

ferramenta auxilia na adaptação do negócio a momentos desafiadores em que pode

estar sofrendo com Aumento de Custos, Queda no Padrão de Atendimento, entre

outros.


MELHORES PRÁTICAS


Atualmente, apesar da metodologia ser bem difundida no mercado, sua aplicação

ainda é complexa e detalhista e exige um desprendimento da atual realidade do

negócio para se atingir os melhores resultados.


Usualmente, não é recomendado que os próprios gestores a realizem, já que os vícios

do negócio poderiam esconder possibilidades de melhoria. O melhor é contar com

uma Consultoria especializada na área para efetuar um processo assertivo, que

consiga trazer ganhos de eficiência e alavancar os resultados da Consultada.


REFERÊNCIAS


• PROCUREMENT GARAGE CONSULTING

• D.Schendel, J.R.Patton e J.Riggs, Corporate Turnaround Strategies: a study of Profit Decline and Recovery (Jounal of General Management, vol. 3, nº 3)

120 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo